ABOUT TO REACH

Langue

Mercado Internacional: Qual língua importa no mercado?

Empresas que estão começando a entrar no mercado internacional precisam se preocupar com diferentes questões no que diz respeito a documentos, produtos e serviços que precisam atender à essa nova demanda.

Porém, uma das questões mais importantes, e muita das vezes deixada de lado, é a comunicação no idioma do país em que a empresa irá atuar. 

Esse artigo visa trazer as implicações e a importância de você se preocupar em dominar e traduzir seus conteúdos, sites, softwares e plataformas.

E se a sua empresa já atua no mercado internacional, esse texto também é para você! 

Vamos dar dicas de erros comuns que muitas empresas cometem e que você também pode estar deixando passar e, consequentemente, perdendo oportunidades de vendas por causa desses detalhes.  

Então acompanhe o artigo e entenda melhor sobre como e quando utilizar cada idioma em postagens e artigos.

 

O Mercado Internacional e a Comunicação

A necessidade e a oportunidade de se destacar no mercado internacional impulsiona empresas a começarem a aprender outros idiomas e, consequentemente, se relacionar com outras culturas. 

Porém, muitas das vezes, esse se torna um processo muito nebuloso e difícil, se mostrando um desafio conseguir ultrapassar barreiras e adotar boas práticas no processo de internacionalização. 

Principalmente no que corresponde a comunicação.

Sair de nossa língua materna, isto é, a nossa língua de origem, para ter que nos relacionar com uma língua estrangeira, também chamada de língua de destino, é um processo difícil. Pois demanda tempo para entender as regras que comandam o sistema linguístico de cada país. 

Se quiser saber um pouco mais sobre Língua materna leia nosso post clicando aqui!

Benefícios e vantagens de dominar a língua estrangeira do país de atuação

Tenho certeza que você já viu o alvoroço de quando artistas internacionais fazem shows no Brasil e, durante suas performances, eles soltam algumas palavras ou frases em português e os fãs vão a loucura. 

Essa reação vêm não só da admiração do público para com o artista, mas também porque é associado que o cantor realmente se dedicou para aquele concerto. 

E é esse esforço e admiração que você transmite para o seu público estrangeiro quando você mostra que se esforçou para aprender o idioma ao divulgar e vender seus produtos e serviços dentro do país. Os consumidores conseguem enxergar a marca como uma empresa que está realmente preocupada com suas necessidades e desejos. 

Sendo assim, os benefícios de demonstrar conhecimento e dominar a língua estrangeira na hora de atuar no mercado internacional são:

  • Demonstrar respeito pela cultura do país ao tentar compreender sua língua ao invés de impor a língua de origem da empresa;
  • Conquistar a confiança dos consumidores, pois você saberá se comunicar e entender suas necessidades e eles irão se sentir ouvidos e compreendidos;
  • Aumentar as chances de compra ao conhecer seu público melhorando as chances de conversões em vendas;
  • Estabelecer uma autoridade de marca no mercado internacional e nacional;
  • Definir um bom relacionamento com os clientes ao demonstrar segurança e preocupação em entender seu idioma.

Antes de irmos para a prática e entender como se comunicar para alcançar bons resultados, vamos entender o porque o processo de tradução e comunicação requer um certo domínio. 

A Tradução e a Cultura de cada país

Cada língua possui seu sistema de regras. 

Por exemplo, na língua inglesa, uma das regras gramaticais que regem a estrutura de frases é que: Não pode existir duas palavras negativas em uma mesma sentença. No português normalmente colocamos dupla-negação na mesma frase. Como: 

  • Eu não tenho nenhum problema. 

Porém no inglês, isso é considerado agramatical (ou seja, errado de acordo com as normas da gramática normativa inglesa). Sendo assim, a saída é utilizar pronomes indefinidos e ter dois resultados:

  • I have no problems. (sem verbo auxiliar don’t)
  • I don’t have any problems. (com verbo auxiliar e uso do any, um pronome indefinido neutro) 

Fonte: English Made in Brazil 

No âmbito da semântica e discurso, vemos dificuldades que implicam na cultura da língua de origem e de destino.

No inglês, existem várias expressões que se traduzidas literalmente, não fazem nenhum sentido. Por isso, uma das preocupações da tradução é achar correspondentes linguísticos para que a sentença tenha significados. Alguns exemplos:

  • It’s a piece of cake = É mamão com açúcar
  • Clothes don’t make the man = O hábito não faz o monge
  • It takes two to make a quarrel = Onde um não quer, dois não brigam
  • He that has a tongue in his head cand find his way everywhere = Quem tem boca vai a Roma
  • He laughs best who laughs last = Quem ri por último ri melhor

Esses foram só alguns exemplos das muitas expressões e frases que precisam de um bom domínio não só da língua, mas ter em mente a referência cultural de cada país e idioma.  

Agora que você já entendeu alguns dos itens que tornam o processo de tradução complexo,  vamos resolver algumas dúvidas e estabelecer algumas boas práticas para que você tenha uma boa estratégia de comunicação no seu processo de internacionalização.

Erros que você NÃO deve cometer na sua comunicação

Já vimos então a importância de se preocupar em utilizar, entender e dominar o idioma estrangeiro para empresas e startups que visam o mercado internacional.

Mas de que maneira fazer isso?

1. Não cometa erros gramaticais e ortográficos

Essa regra se aplica a qualquer conteúdo e qualquer idioma seja português, inglês, espanhol e assim sucessivamente.

Sim, todos estamos suscetíveis ao erro. Porém erros de ordem gramatical e ortográfica tendem a trazer um visão muito negativa para a marca, tanto aquelas que estão iniciando seu processo de internacionalização quanto as que também já estão nesse meio. 

Os consumidores e visitantes podem pensar: Se a empresa não consegue se atentar às regras da língua, quem dirá que ela saberá resolver o meu problema de maneira eficiente? 

Uma boa escrita seguindo as regras do idioma em questão são capazes de transmitir confiança para possíveis clientes e até mesmo parceiros e investidores. 

2. Evite confusões em traduções de artigos e postagens

Muitas empresas que já se preocupam com a comunicação na língua estrangeira cometem alguns deslizes na hora de postagens em mídias sociais (como LinkedIn, Instagram etc), bem como artigos para blogs e outros conteúdos que são divulgados pela empresa. 

O principal erro dessas empresas é não seguir um padrão nas traduções. 

Um exemplo na prática é que, navegando no Linkedin recentemente, eu me deparei com uma empresa que já exporta produtos e aparelhos hospitalares. Fui visitar sua página empresarial e percebi que suas postagens não tinham nenhum padrão. 

As artes e flyers tinham ora informações em inglês, ora informações em português. As descrições e postagens, muitas das vezes, só apresentavam-se em língua inglesa, às vezes apenas em língua portuguesa e, em certas publicações, apareciam as duas traduções.

A falta de organização e padrão nas publicações tornam a apresentação da marca, produtos e serviços muito confusas e causam uma impressão negativa de bagunça não só para o mercado internacional como para o nacional.

O que nos leva para o nosso próximo tópico.

3. Não exclua o seu público nacional

Muitas das vezes, no processo de internacionalização, encontramos uma oportunidade tão boa lá fora que esquecemos de continuar mantendo o nosso público nacional entretido e, mais que isso, continuar a ajudar a resolver seus problemas com serviços e conteúdos de qualidade. 

Para que isso não aconteça, você deve manter a sua atenção para o público nacional e compartilhar suas vitórias no mercado estrangeiro também.

Essas ações ajudam não só a deixar o consumidor que já te conhece mais a par sobre as conquistas da sua empresa, como também aumentar a autoridade da marca.

Então, se você já tem um mercado no Brasil, evite postar conteúdos apenas no inglês, espanhol ou outros idiomas. Isso poderá distanciar seu atual cliente da marca e lhe trazer grandes prejuízos nos resultados da empresa.  

4. Traduza todos os materiais, sites e conteúdos

Se você vai começar a se dedicar na comunicação para o mercado internacional ou já faz isso, é imprescindível que você:

Faça a tradução de todos os materiais que o seu consumidor irá interagir, seja aplicativo, site, plataforma, páginas em mídias sociais, materiais de instrução de produtos ou serviços etc

Mas não se esqueça do que conversamos no item 3! Você não deve deixar de lado o seu público nacional.

Então em caso de sites, softwares e plataformas, por exemplo, você deve deixar opções de idiomas que o seu consumidor pode escolher: Acessar o site na língua inglesa, por exemplo, ou no português. 

5. Se atente às variações linguísticas de cada país

Muitos países possuem línguas oficiais em comum com vários outros. Vamos pegar o Português, por exemplo, que é falado não só no Brasil e em Portugal como também em Moçambique, Angola, Macau e outros. 

Ao todo são nove países que têm como idioma oficial o português, segundo a Comunidade dos Países da Língua Portuguesa. 

Fonte: Mundo Educação 

E sabemos que o português brasileiro é muito diferente do português de Portugal, às vezes achamos até que é uma língua completamente diferente, não é mesmo?

Pois é, essa diferença na língua se dá também em muitos outros idiomas como o Inglês Norte-americano que se diferencia do Britânico, por exemplo. Bem como com países que possuem o espanhol como idioma oficial que é o caso da Espanha, Chile, Uruguai, Argentina e muitos outros. 

Por isso, se atente às peculiaridades não só do idioma, mas também do país que você estará internacionalizando, pois uma tradução que não está adequada às particularidades do país, pode causar sérios prejuízos as suas vendas e relacionamento com os clientes.

6. Não confie 100% em softwares e sites de tradução

O Processamento de Língua Natural (PLN) tem sido um dos grandes “carros fortes” no quesito tecnologia da comunicação. É inclusive essa área que tem possibilitado os avanços de grandes plataformas como o Google Tradutor, Siri e muitos outros. 

E não estou aqui para falar mal desses sites e softwares que realizam esses serviços, até porque cada vez mais têm obtido êxito em suas traduções. No entanto, é importante saber usá-las com muita sabedoria para não cairmos em uma Tradução Fria. 

As Traduções Frias nada mais são do que traduções em que não há uma análise prévia sobre o contexto daquele texto, nem de seu público ou suporte em que será veiculado. A tradução é realizada apenas com o texto em si, desconsiderando outros fatores que podem afetar a compreensão do material a ser traduzido.

A língua passa por diversas mudanças constantemente o que torna o processo de mapear o surgimento e entendimento de novas palavras, muito mais difícil para uma máquina ou uma IA (Inteligência Artificial) aprender e dominar completamente. 

O que nos leva a ultima dica:

7. Tenha sempre tradutores qualificados e de confiança

Tenha sempre por perto um tradutor qualificado para produzir, traduzir e revisar todos os seus conteúdos antes de serem postados. 

Como vimos nos itens anteriores, existe uma série de conhecimentos e competências necessárias para que sua comunicação e tradução seja efetiva. Por isso, não hesite em achar um profissional que domine todas as regras tanto da língua de origem quanto da língua de destino. 

A Langue trabalha com a Tradução Cultural e possui uma rede de prestadores qualificados em diversos idiomas para ajudar as empresas que querem traduzir sites, materiais de instrução, plataformas e muitos outros conteúdos para outras línguas. 

Nossos profissionais passam por um processo de curadoria onde são certificados e aprovados a partir da avaliação de diversas competências necessárias para a realização desses serviços como experiência na área, formação e outras expertises. 

Se quiser saber mais sobre os serviços da Langue, basta clicar aqui!

E se você precisa de materiais traduzidos com qualidade e confiança é só fazer um orçamento com a Langue. 🙂

Leave Your Comment