ABOUT TO REACH

Langue

Por que as suas estratégias de criação de conteúdo não funcionam?

Por que as suas estratégias de criação de conteúdo não funcionam?

Você sabe o porque as estratégias de criação de conteúdo não funcionam na sua empresa?

Já falamos algumas vezes em como a comunicação têm se tornado prioridade na realidade das marcas, e como isso pode alavancar os resultados de sua empresa. Mas quando focamos em comunicação, precisamos considerar o texto escrito como algo que precisa ser produzido com muito cuidado e atenção.

Apesar de haver uma maior preocupação por parte das empresas em investir na comunicação, muitas vezes acabamos nos deparando com um outro problema, que é a comunicação falha.

Investe-se em Marketing de Conteúdo, no entanto não há grandes resultados quanto se esperava. Isso acaba gerando uma descrença por parte dos contratantes sobre a utilidade em investimento em produção de conteúdo.

Porém, esse tipo de resultado se dá, muitas das vezes, devido a descuidos na hora de produzir os textos e outros fatores que abrangem a criação de conteúdo. Por isso, separamos em 4 tópicos os principais motivos pelos quais as suas estratégias de produção de conteúdo podem falhar.

Vamos conferir?

Não conhecer sua persona

Um dos primeiros e mais recorrentes erros que se comete na hora de redigir textos é ignorar a existência da persona. Muitas empresas simplesmente decidem produzir conteúdos a partir do imaginário que elas têm sobre a pessoa que irá consumir esse material, bem como o tema que acreditam que vai engajar nas redes.

Partindo de pressupostos como esses é que se cometem grandes equívocos ao escrever para pessoas que não vão ler, já que não conseguem se identificar com o texto por não corresponder ao que de fato lhes interessa.

Muitas vezes, nem terão acesso a esse conteúdo, pois ele está atingindo um público que não tem o perfil da marca e nem dos produtos/serviços que a empresa procura alcançar.

Sendo assim, criar a persona é imprescindível para uma estratégia de conteúdo eficiente. É por meio dessas informações sobre seu público que você será capaz de entender qual é a linguagem que você deve adotar.

Além disso, quais mídias digitais você deve focar seus esforços e quais são as dores e desejos do seu público, para que seja possível criar textos em cima desses temas e, assim, fisgar o leitor.

Textos pouco acessíveis

O domínio de uma língua vai muito além de conhecer regras gramaticais e ortográficas. O que poucas pessoas sabem é que um texto bem escrito não é só um texto adequado às normas da língua portuguesa. Um bom texto precisa ser compreendido e se comunicar, de fato, com o leitor.

Ou seja, você pode escrever aquele texto que qualquer gramático ficaria de queixo caído, cheio de mesóclises, entre outros recursos considerados difíceis, mas se o seu público não te entende, então seu texto não está bem escrito.

Para que seja verdadeiramente funcional, é preciso que o texto fale a mesma língua que a sua persona, seja com o uso de gírias, expressões e referências que estejam de acordo com a realidade do seu leitor, caso contrário, a comunicação não será efetiva.

Falta de conteúdo atrativo e diferenciado

Um dos maiores desafios para pessoas que trabalham com criação de conteúdo e comunicação, é sempre manter ativo o interesse do público. E, para atrair a curiosidade e, até mesmo, fidelidade de um comprador, a marca deve sempre apostar em conteúdo atrativo e diferenciado.

É claro que acontecerá de cair em temas comuns, que precisam ser trabalhados pela sua empresa, mesmo que já tenha sido trabalhado por concorrentes. No entanto, é sempre possível inovar, inclusive com temas considerados “saturados” pelo mercado.

Você pode trazer diferentes abordagens e pontos de vista sobre aquele conteúdo, como tentar sair do tradicional formato de texto e explorar outros veículos, como vídeos, imagens, infográficos, webinars e por aí vai. Possibilidades não faltam quando o assunto é deixar um conteúdo mais atrativo e conquistar a atenção do seu público.

Mas é sempre importante pesquisar e testar com seus leitores antes de começar uma nova estratégia, para saber se é um caminho viável e se terá aderência por parte de sua persona.

Não explorar outras mídias digitais

Uma das grandes falhas que uma empresa pode cometer hoje em dia é se manter estagnada diante das tendências que surgem cada vez mais rápido no mercado. Isso as torna obsoletas, ficando para trás dos concorrentes.

Essa questão é ainda mais evidente quando observamos as mudanças pelas quais as mídias digitais passam e influenciam no comportamento das pessoas. E, essa se torna uma ótima oportunidade de não só entender o seu público, mas usar essas ferramentas a seu favor.

Porém, muitas empresas acabam se confundindo em suas estratégias de mídias sociais e das duas uma: ou tentam abarcar todas as mídias existentes, como Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest, Whatsapp entre outros ou, acabam presas apenas naquela que está “bombando” no momento.

Ambas situações são equívocos comuns, mas que devem ser corrigidos. 

Os malefícios dessas duas estratégias de criação de conteúdo é que, na primeira situação, você perde a oportunidade de aprofundar seu relacionamento com o cliente.

Assim, você não irá desperdiçar tempo e dinheiro com todas as mídias, sendo que muitas das vezes sua persona nem está na maioria delas. Já na segunda opção, o erro é perder a oportunidade de atingir maiores resultados ao se concentrar em apenas uma delas.

Não estamos dizendo aqui que você não pode estar em todas as mídias ou ainda que você não pode estar em apenas uma. Mas é preciso fazer uma extensa pesquisa e análise para que você não deixe de aproveitar diferentes oportunidades que essas redes podem te proporcionar. Assim você montará estratégias eficientes que realmente irão cativar o seu público.

Como vimos nesse artigo, podemos chegar a conclusão de que não podemos negligenciar o processo de construção de um texto e os fatores que precisam ser considerados na hora de escrever um conteúdo na internet.

Gostou de nosso artigo? Então, leia nossos outros posts:

Os Riscos de uma Tradução Fria: https://langue.com.br/2020/07/10/os-riscos-de-uma-traducao-fria/

Leave Your Comment