ABOUT TO REACH

Langue

Comunicação estratégica: 5 passos simples para conversar com clientes

Conversar com o cliente através do texto passa longe de ser uma tarefa fácil.

É necessário estabelecer uma comunicação estratégica ao escolher que tipo de linguagem você deve seguir, esse planejamento vai servir como base para saber como sua marca e empresa se relaciona, além da sua personalidade e com quem ela deseja falar.

Uma linguagem descontraída, por exemplo, pode significar que o seu público é mais jovem, ou que o seu produto está relacionado a lazer ou divertimento.

Uma linguagem formal, comercial e assertiva vai passar a sensação não só que você entende muito bem sobre o assunto que fala, mas também que está falando com uma pessoa tão experiente como você.

Usar fórmulas mágicas, acreditar na linguagem neutra para atingir mais pessoas só vai fazer com que sua empresa passe uma sensação genérica e automatizada de linguagem.

Sim a automatização de vários aspectos da sua empresas é interessante e muito bem vista, mas quando estamos falando de conversar com seu público, criar uma relação com o seu cliente, o generalista e automatizado passa a sensação que você não se importa tanto com quem está falando, ou não entende muito bem sobre tal pessoa.

Comunicação estratégica: Você sabe como seu cliente se comunica?

Passando reto pelas partes filosóficas sobre seres humanos e a base comunicacional que gera sentido, hoje viemos trazer para vocês algumas dicas práticas de escrita para que você possa estabelecer um planejamento de comunicação estratégica que pode ser utilizada para escrever um texto dentro da sua marca.

Vamos aos passos:

1- Tom e voz da marca

Estabeleça através de técnicas básicas de Ux e Copywriting como seu texto deve ser escrito. Quais são as principais funções que ele deve passar; credibilidade, eficiência?

Com quem você está falando e quais palavras-chaves devem ser usadas para chamar a atenção daquele que lê.

Além das palavras e tom que você deve usar, formal, assertivo, agressivo, decida também pela formatação.

Qual plataforma você usa? Dependendo, você poderá usar negrito ou itálico, até carinhas e emojis adequados para falar com alguém.

Um exemplo clássico é chatbot, que normalmente passa a imagem de uma pessoa em uma conversa formal, porém descontraída, onde poderá usar emojis para expressar emoções e afastar a sensação da passiva agressividade.

Se quiser saber mais sobre como definir o Tom e a Voz da sua marca, leia nosso texto Identidade Corporativa: Tom, Voz e Linguagem

2- Revisão em voz alta

Escreveu, leu e analisou.

A comunicação estratégica efetiva é baseada em análise e revisão, ou seja, qualquer texto deve ter uma revisão não só gramatical, mas você deve reler o seu conteúdo focando no resultado e em como a pessoa poderá entender. 

Por isso muitas vezes é melhor ler o texto da sua plataforma em voz alta, já que ele existe para interagir com um público simulando um conto ou uma conversa. Então para o teste se tornar efetivo, trate o texto como uma conversa real!

Parece banal mas funciona e garante menores desentendimentos.

3- Ops, fui grosseiro

Dê uma pausa entre uma revisão e outra e, se possível, coloque alguém para ler aquilo que você escreveu.

Muitas vezes produzimos conteúdos de certa maneira e acabamos esquecendo que a fala se conserta, já a escrita é estática e um mal entendido demora muito mais para ser consertado.

Evite criar muitas sentenças e palavras negativas porque isso pode deixar seu consumidor em alerta o tempo inteiro, não se sentindo confortável para participar daquela experiência.

Uma comunicação não violenta é o ideal para qualquer tipo de conteúdo que você venha a produzir. 

4- Adequação de olho na Persona

Se você não está habituado a escrever e já tem um texto na sua plataforma o caminho é um pouco mais simples na prática e complexo na teoria.

Sim, a análise de Persona e Tom de marca deve continuar, mas agora o caminho muda um pouco.

Observe as características do seu consumidor e veja como ele entende um texto, o que ele consome e como ele fala. Aproxime a sua construção textual dessas características sem infantiliza-lo.

Se quiser saber como criar a sua Persona, baixe gratuitamente nosso e-book Guia Completo: Criação de Persona. 

5- Não é cópia, é inspiração

Sabe aquela empresa com um Marketing perfeito? Que você admira de longe e que sente que vocês têm muito em comum.

Pois bem, use-a.

Existe uma técnica chamada Skyscraper, que consiste em definir uma palavra-chave, analisar os resultados ao pesquisá-la nos mecanismos de busca e, então, selecionar um conteúdo do seu concorrente que seja relevante e que tenha um bom ranqueamento. 

A partir disso, você analisa os aspectos que o tornam tão relevantes e desenvolve um outro texto tornando-o um conteúdo melhor. Assim, você consegue adicionar informações e conhecimentos específicos que só a sua empresa domina. 

Se quiser saber mais sobre isso, sugiro que leia o artigo da Rock Content clicando aqui!

Cuidado com cópias pretensiosas e sem sentido com marcas que não tenham a ver com aquilo que você oferece.

Escolha uma marca que converse como você deseja e ofereça aquilo que você conhece a partir de uma comunicação estratégica planejada.

Tenha uma base comunicacional para se inspirar e até ampliar os horizontes da sua comunicação escrita, desde jargões a escolhas de formatação.

A escrita é prática, técnica e inspiração. Uma maneira clara de falar com o seu cliente a todo momento e de maneira fixa. 

BÔNUS

Uma última dica bônus vem do livro Redação Estratégica para UX de Torrey Podmajersky

Para uma comunicação estratégica, é essencial que seu texto seja editado e revisado antes de publicá-lo ou ser apresentado para seu cliente. 

Sendo assim, a edição deve ser realizada em 4 etapas, pois o texto precisa ser: 

  • Significativo tanto para o leitor quanto para a empresa. Então certifique-se que sua comunicação transmite os ideais da empresa e os impactos que serão causados no consumidor; 
  • Conciso para transmitir a mensagem necessária. Então evite a clássica “encheção de linguiça”, faça uma filtragem das frases e parágrafos para reduzi-las ao seu significado principal; 
  • Dialógico para proporcionar uma comunicação como via de mão dupla. Se coloque no lugar da sua Persona e imagine ela respondendo e conversando com o seu texto;  
  • Claro ao lembrar do objetivo desse conteúdo ser produzido. Imagine onde está o seu consumidor, o que ele está fazendo e porque está lendo esse texto. Palavras simples e comuns são de mais fácil reconhecimento até mesmo para especialistas. 
Quer saber como a Langue é especialista nesse assunto?

 

Leia o texto Case de Sucesso: Antes X Depois de uma Adequação.

Leave Your Comment