ABOUT TO REACH

Langue

Consciência Negra

Certamente já ouviu falar do Dia da Consciência Negra. O motivo de estarmos escrevendo esse artigo é para conscientizar a população que esse dia não pode ser visto como um dia comum.

Houve muita luta e persistência para que esse dia fosse reconhecido e mantido no calendário brasileiro.

Então, continue lendo para saber o motivo da escolha dessa data e quais foram as lutas enfrentadas.

E claro, falamos da importância da luta contra o racismo, no final do post trouxemos dados sobre essa data.

Como tudo começou

Há 9 anos, no dia 10 de novembro de 2011, foi instituído a Lei 12.519, que é referente ao dia da Consciência Negra. 

Uma data recente comparada aos mais de 300 anos de tortura, abuso e prisão: a escravidão. 

Esse feito só foi possível pelos movimentos sociais que incansavelmente lutaram e lutam para que todos reconheçam os negros como pessoas que devem ser respeitadas e sua importância num país, como o nosso, construído por mãos pretas. 

A desigualdade social que vemos em nosso país é herdada desse período escravocrata.

Os pretos vem enfrentam uma dificuldade gigantesca em todos os aspectos da vida, principalmente nas oportunidades. 

Tendo que fazer afirmações diárias para provar sua competência na busca de emprego, acesso à educação, desde o ensino básico ao superior, lugar na arte e cultura, religião e reconhecimento como pessoa digna. 

Porque 20 de novembro?

A escolha por essa data tem relação com contexto histórico.

Foi escolhida para ser o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, pois foi o dia que tropas lideradas pelo bandeirante Domingos Jorge Velho assassinaram Zumbi dos Palmares e expuseram sua cabeça em praça pública. 

Existem cidades que ruas possuem o nome do Domingos Jorge Velho como forma de homenagem, inclusive São Carlos.

Com isso, as pessoas que viviam no Quilombo dos Palmares e não foram capturadas, fugiram para não se tornarem novamente escravos dos senhores brancos. 

O racismo ainda existe?

Além de toda a desigualdade social, lidamos também com o racismo estrutural, uma forma sutil de discriminação da população negra. 

O racismo acontece em todos os lugares, inclusive na língua, acreditamos que da lista selecionada você já deve ter ouvido ao menos uma delas, essas expressões são:

  • “Denegrir”;
  • “Esclarecer”;
  • “Criado-mudo”;
  • “A cor do pecado”;
  • “Serviço de preto”;
  • “Cabelo ruim”;
  • “Mulato(a)”;
  • “Lista negra’; 

Dentre muitas outras usadas no cotidiano de forma negativa, vindas de um contexto histórico marcado por violência, intolerância e discriminação. 

Esse racismo não é reconhecido por muitas pessoas (maioritariamente brancas) e são as mesmas que fazem a manutenção da gigantesca desigualdade social que vivemos.

E por isso, é necessário a educação sobre a cultura africana e todo o processo sócio-histórico de escravidão que nossos antepassados viveram.

Reforçando que ainda existe racismo e que é necessário combatê-lo em todas as formas. 

Continuemos lutando contra o racismo, desigualdade social e tudo que afeta o povo preto de maneira negativa com base no julgamento da cor da pele.

Fonte: https://antrabrasil.org/category/violencia/

Curiosidade sobre o dia da Consciência Negra

Caso esteja pensando que esse dia é totalmente separado para celebrar os pretos, a resposta é não! 

Embora, em mais de 1200  cidades esse dia é considerado feriado, para a sociedade preta é um dia de luto, por todos que já morreram por serem negros, que já sofreram qualquer tipo de racismo.Luto pelo preto ainda tem pouca visibilidade!

Não é um dia para comemoração, e sim para reflexão e conscientização de toda a população brasileira.

Por esse motivo, ressalto aqui que mais da metade da nossa população é negra, cerca de 54%, segundo Instituto Brasileiro Geográfico e Estatística (IBGE) de 2014 e em todas as áreas da sociedade somos minoria, exceto nas camadas mais pobres.

Rafaela Silva fez uma publicação aqui no blog ensinando a como não ser racista, confira no link a seguir.

A luta do negro no século XXI

Mesmo em um mundo tecnológico, uma sociedade avançada em termos digitais, os dias atuais nos mostram um grande retrocesso, quando falamos de vidas pretas.

Infelizmente no ano de 2020 os Estados Unidos acompanhou a morte do George Floyd, um preto que foi morto por asfixia. Existem vídeos, fotos que mostram um policial branco em cima do homem no chão.

Para saber que essa luta é dolorosa não precisamos de uma autópsia que comprove isso, basta olhar nos filmes, quantos negros são protagonistas nos filmes mais acessados?

O racismo também está presente em cada esquina do Brasil, aconteceu e acontecem muitos casos de homicídio contra os pretos.

Em 2019, Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos foi assassinado em frente sua família, sendo atingido por 80 tiros, não porque cometia crimes, estava fugindo da polícia ou tinha reféns, o motivo desses 80 tiros era sua pele.

Também houve o caso de João Pedro, um adolescente de 14 anos que estava na casa de seus familiares, levou um tiro em seu abdômen e veio a óbito em 2020, pelo mesmo motivo ao caso anterior.

Por esses e muitos outros homicídio a sociedade negra deu um basta e foram para o protesto digital: Black Lives Matter!

As vidas pretas importam sim! 

O preto tem família, tem emoções, tem vida, ele é gente!

Que não nos esqueçamos da luta diária dos negros mesmo com o passar do tempo.

Leave Your Comment