ABOUT TO REACH

Langue

escopo-de-criacao-do-chatbot

Como mapear o escopo de criação do chatbot

Você sabe como é o processo de criação do chatbot?  

O uso dessa ferramenta otimizou o atendimento de muitas empresas. Hoje vamos entender por quais processos ele passa até chegar ao serviço final.

Qual o passo a passo no desenvolvimento de um assistente virtual?

O chatbot tem se mostrado essencial no cenário do mercado tecnológico, marcado pelo sucesso na relação com o cliente. 

No entanto, esse sucesso depende de uma boa estruturação, que por sua vez, depende de um bom processo de criação do chatbot. Pois, se não existe essa boa estruturação, o chatbot pode falhar no seu principal objetivo. 

Você provavelmente já caiu em conversas onde o bot não respondia o que você desejava, ou simplesmente não te dava a opção que precisava no momento. Isso acontece porque, muitas vezes, houveram problemas nas etapas de criação do chatbot.

Então, quais são as etapas desse processo de criação do chatbot? É disso que falaremos no post de hoje. 

Separamos aqui alguns pontos importantes que devem ser seguidos para a criação do chatbot de qualidade.

Defina o tipo de problema que o assistente vai resolver

Ou seja, o motivo pelo qual a criação do chatbot foi solicitada. Ele pode atuar como:

  • Um atendente que reduz a fila na hora dos atendimentos. 
  • Vendedor que otimiza o processo da venda do produto da empresa
  • Suporte de  dúvidas dos clientes nos canais digitais onde estão presentes (Redes sociais, sites e outros canais de comunicação)

É preciso determinar o objetivo logo no início da criação do chatbot, porque estes fatores implicam diretamente na construção da comunicação que ele vai utilizar na sua interação. Para isso, existem dois caminhos a serem seguidos: 

  • Bots Estruturados: aqueles que vem com a opção de botão para o usuário clicar, sem muita interação conversacional, utilizado mais em suporte de dúvidas.
  • Bots com Inteligência Artificial: são aqueles capazes de manter um fluxo conversacional com o usuário, de perguntas e respostas, geralmente utilizado em atendimento.

Mapeie as possíveis perguntas

Nesse momento da criação do chatbot, é importante fazer um compilado de quais seriam as perguntas plausíveis que o assistente virtual receberia. Por exemplo, se o chatbot realiza suporte de dúvidas, as perguntas poderiam ser:

  • Onde faço meu cadastro no site?
  • Como recupero a minha senha?
  • De que modo edito minhas informações pessoais?

O mapeamento de perguntas auxilia na construção do caminho que o chatbot realizará para completar seu percurso no atendimento ao cliente. É nessa etapa também que se indicam as respostas, elas já são programadas e pensadas para diversas situações que ele pode ser inserido.

Crie um fluxograma

Uma boa opção na hora da criação do chatbot é montar um fluxograma, que mostra com desenhos e flechas as interações que o assistente realizará. Assim, é possível entender visualmente esse contato de perguntas e respostas. 

No fluxograma, deve conter:

  • Temas: as questões separadas por temas
  • Intenções: as perguntas que o chatbot receberá
  • Respostas: as respostas que o chatbot dará para cada pergunta

Esses fluxogramas são extremamente úteis na criação do chatbot.

Até para prever como o cliente deve se comportar dentro da plataforma, qual será o próximo passo, qual resposta ele receberá, etc. Observe o exemplo de fluxograma abaixo, nele são apresentadas as intenções, respostas do bot, temas e exemplos de perguntas que poderiam ser feitas.

criação de um chatbot

Por fim, é válido ressaltar que seu bot deve ter um tom de voz pré definido, concordando com a missão, valor e visão da empresa. Seguindo todos esses passos para a criação do chatbot, você construirá um assistente virtual que atinge, tanto as suas expectativas, como as dos clientes. 

Agora que você já conhece o processo de criação do chatbot, que tal se certificar de que ele vai entregar a efetividade que você espera?

Temos aqui um post preparado para isso! Clique aqui para saber mais sobre. 

Nos siga em nossas redes sociais:

Leave Your Comment